(Resenha) Insurgente

insurgente

 

Autora: Veronica Roth

Editora: Rocco

ISBN: 9788579801556

Páginas: 512

Lançamento: 2013

Sinopse: Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama – e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor.

A trilogia Divergente certamente é um vício. Desde o momento em que li a primeira página de Divergente (clique aqui para ler a resenha), não consigo pensar em outra coisa. Insurgente tem poucas páginas a mais que Divergente e eu li tudo em três dias. Para mim – que sou uma tartaruga para leitura – foi rápido até demais.

Insurgente não tem um foco tão grande nas personagens como foi em Divergente; dessa vez os holofotes estão nas revoluções, nas lutas pela destruição das facções e contra Jeanine, a líder má e fria da Erudição, que quer estudar e eliminar os Divergentes a todo custo.

Achei alguns defeitos em Insurgente que fizeram com que eu gostasse menos desse livro do que de Divergente: os fatos correram rápido demais, assim como as informações importantes que os personagens deveriam passar uns aos outros (não sei se isso vai acontecer com todos os que lerem Insurgente, mas eu não consegui entender direito algumas coisas) e eu fiquei decepcionada com o romance da Tris e do Tobias (porque gosto de romance em todo tipo de livro, sim).

A parte positiva foi que eu gostei do crescimento da Tris e sua concepção sobre a coragem, que pode estar em atos simples ao invés de se jogar em uma guerra. As quotes que encontrei nesse livro conseguem superar as de Divergente. Algumas delas são:

“Acho que choramos para liberar nosso lado animal sem perder a humanidade”

“A tristeza não é tão pesada quanto a culpa, mas rouba mais de nós”

“Descobri que as pessoas são compostas de camadas e mais camadas de segredos. Você pode achar que as conhece, que as entende, mas seus motivos estão sempre ocultos, enterrados em seus próprios corações. Você nunca as conhecerá de verdade, mas às vezes decide confiar nelas”

Deu pra notar que a carga desses quotes é bem negativa? A Tris passa por maus bocados, mas consegue superá-los com muita garra. O final de Insurgente também é surpreendente, tanto que mal pude esperar e comecei a ler Allegiant (a tradução em português é Convergente, que ainda não foi lançado no Brasil) e tive boas surpresas com o início do livro, as quais compartilharei em breve com vocês!

Não se esqueçam de dar uma olhadinha na resenha de Divergente! E o que você está esperando para ler essa trilogia linda de maravilhosa?

Beijos e até a próxima,

Mariana

 

Anúncios

Um comentário sobre “(Resenha) Insurgente

  1. Oi adorei sua resenha…mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei… se trata de um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história…..acesse o link da livraria cultura e digite reverso…Há a capa do livro é linda, ela traz o universo de fundo..abraços. http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..busca.livrariasaraiva.com.br/saraiva/Reverso
    http://www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s